Reforma agrária… É algo necessário. Existem vários grupos que lutam constantemente para que esta aconteça. O principal destes grupos, o MST “Movimento Sem-Terra” prega e vive de uma teoria ideológica muito bonita, a de dividir as terras férteis que não são aproveitadas para dar a aqueles que nada têm. Mas infelizmente na prática é muito diferente. Na maioria dos casos os lideres destes grupos são oportunistas que pegam as terras não para trabalharem, usam desta penúria para fazer pressões políticas. Normalmente aqueles que participam deste grupo, provável que por pura ignorância, nem percebem qual o real interesse de seus lideres.

Integrantes de três movimentos sem terra protestando em brasilia

Integrantes de três movimentos sem terra protestando em Brasília (acima)

Um exemplo clássico de como o que este texto descreve é real, foi o que aconteceu em 2006 no mês de março, onde membros do MST invadiram e destruíram um laboratório de pesquisas no rio grande do sul. Pesquisas essas que eram estudadas há anos. Pesquisas que elevariam consideravelmente nosso país na área de espécies botânicas.

“O laboratório que desenvolve novas espécies teve prejuízo de 400 mil dólares. Durante a ação, foram usadas armas artesanais com uma faca amarrada na ponta. Os sem-terra danificaram 16 mil metros de estufas e segundo a empresa oito milhões de pés de eucaliptos foram perdidos” – Globo.com – Quarta-feira, 08 de Março de 2006

A real necessidade de fazer uma reforma agrária justa praticamente não se discute. Infelizmente vivemos em um país onde os espertos prevalecem. E neste caso não é diferente. Usam e abusam dos desfavorecidos financeiramente e intelectualmente, os deixando pensar que estão lutando por algo justo, quando na realidade tornam-se baderneiros que nem sabem o que fazem.

Anúncios