O mundo estava agitado. Cada hora do dia submergida em enchentes ininterruptas de compromissos. Tentavam se segurar, manter a calma, remar, remar e remar em direção à margem, à segurança. Esforçar-se tanto era inevitavelmente desgastante. Boiavam. Colocavam máscaras a fim de distrair e distrair-se, porém eventualmente a face cansada se mostrava e desagradava. Por meses viveram assim. “Estamos na época da vida onde devemos plantar, plantar, plantar, para garantir uma boa colheita no futuro!” é o que diziam para si buscando forças para aguentar os dias cheios. O cansaço dominou-os, e esse foco tornou-se turvo. Até amar, que antes era uma saída para aliviar essas tensões, tornou-se um empecilho, afinal já não tinham tempo para isso.

Adorável Desdém

Ele acordou. Procurou seu relógio. Havia dormido mais do que de costume.
O ambiente era claro, as paredes tinham um tom sépia. Um ar tranquilo inflava-lhe os pulmões. Silêncio. Uma calmaria diferente da habitual. Lembrou-se de onde estava. Olhou para o lado. Sua garota ainda dormia. Beijou-lhe a testa. Acariciou seu cabelo. Ela se movimentou, abriu os olhos grandes ainda pesados de sono e o observou por poucos  instantes aconchegando-se novamente em seu peito. Não queria acordar. Ele a apertou em seus braços. Amava aquela menina. Riu silenciosamente enquanto a abraçava. Olhou novamente seu relógio. Era domingo, ele não tinha nenhum compromisso para aquela tarde. Decidiu relaxar e adormeceu.

trabalhar.

“é, trabalhar requer abrir mão de algumas coisas”

Se alguem resolvese revisar minha gramática certamente me corrigiria muito.

Não escrevo para ninguem. Se não estivesse com preguiça de pegar meu caderno escreveria lá onde ninguem jamais lerá. Não prefiro escrever lá por vergonha do que me vem a mente, mais por achar comodo anotar as idéias a mão em algo que está sempre a minha disposição. enfim.

a frase. a maldita frase que está na primeira linha deste texto.

Será que fiz a escolha certa?

sempre soube, aliás é clichê dizer que é preciso abrir mão de certas coisas para um emprego. mas… eu abri mão de muitas coisas.

Abri mão do LEO, abri mão da Ordem DeMolay e pensando bem praticamente abri mão de meus amigos. Abri mão do meu tempo. Abri mão até da convivencia com meus pais. Abrir mão…

é meu momento egoista.

Abro mão diariamente de tudo aquilo que me fazia feliz. Que apesar de todas as suas complicações me alegrava.

Um lamento por sí só não é a melhor saida.

Mas todo lamento deve ser lembrado. Pois quando isso acontece se tem a oportunidade de ver bem o que o cativa. O que causa desânimo.

Apartir daí consegue-se, em um momento de lucidez, avistar alternativas para voltar a ser alguem alegre.

Afinal. Qual é a verdadeira motivação de nossos dias?

Cansei de abrir mão.

Preciso aos poucos recuperar, voltar ao que me faz bem.

Olá você =)

Olá amigo leitor…

a pouco resolvi verificar o número de visitas diárias nesse blog que está parado a algum tempo e acabei me impressionando.

mesmo esta página de noias particulares estar parada a alguns meses, encontrei um número considerável de visitas diárias…

=)

bom, obrigado por visitar…

se quiser conhecer a outra página que estou postando agora visite:

paranoiaoumistificacao

Quarta feira 25/fevereiro/2009

… Com tudo que vivi recentemente, aprendi e lamento em ter de reconhecer, que nem sempre a sinceridade acaba por trazer os melhores frutos. As pessoas são hipócritas, a sociedade está repleta de tartufismo e o caminho mais fácil para se viver em paz é adaptar-se e conviver com a falsidade. Droga. Às vezes deixo de ser uma pessoa querida por não querer ser cínico.falsidade

Entendimento limitado

A palavra “nada” não tem uma definição muito precisa. Palavra de origem incerta, mas muito próxima do termo usado pelos romanos (latim) “nata”. Usavam a expressão “res nata” quando queriam referir-se a algo negativo. “res” significa coisa, e “nata” é o particípio feminino do verbo nascer. Um exemplo no latim é a frase “Non vidi res nata” que traduz-se literalmente “Não vi coisa nascida”.

Segundo a maioria dos dicionários de língua portuguesa, a palavra nada significa “a não existência; ausência de quantidade; inanidade”, mas se formos avaliar de acordo com os conhecimentos mais básicos da física é impossível existir um completo vazio. A concepção de nada que usamos em nosso cotidiano não se encaixam nesses estudos, tão pouco na filosofia.

Então, se nenhum idioma consegue dar-nos uma noção do que seja realmente “o nada”, como poderíamos defini-lo? Não podemos. Por mais que muitos físicos como Einstein, Newton, Maxwell e filósofos como Aristóteles e Mestre Eckhart tenham dedicado-se por anos na tentativa de imaginar “o nada” até hoje ninguém obteve o êxito em esclarecer o que exatamente essa palavra quer dizer. Aristóteles, sábio, estava totalmente certo quando disse em uma de suas conclusões sobre o assunto que “a natureza odeia o vazio”.

Resumindo, o “nada” é complexo, e sua concepção ultrapassa o limite da compreensão humana. “Na verdade “nada” é uma palavra esperando tradução.” – Pianos bar, Engenheiros do Hawaii

Momento Reflexão

Homem e mulher

Não existirá amizade sincera quando houver, a principio, interesse sexual. Pois quando há atração, há tentativa de sedução. Quando um alguém tenta seduzir alguém, usa da omissão e até mesmo a mentira na constante tentativa de chamar a atenção do outro.
Quando não há, a principio, atração e a confiança for total, nenhum dos dois omitirá o que sente e pensa, logo apresentar-se-á como é de fato.

Se o interesse surgir após a intima amizade é porque apaixonaram-se pelo que são de verdade. Surgirá então um real amor com riscos mínimos de grandes frustrações.

Desabafo

Sou um humano e como todos os outros, intrínseco a minha personalidade carrego o egoísmo e a fatuidade. Prefiro e procuro sempre satisfazer as minhas vontades antes de dar atenção aos sentimentos e necessidades de segundos ou terceiros.

Tenho facilidade em auto elogiar-me ou criticar e ridicularizar os outros nos aspectos que para mim não estão corretos.

Me sinto muito bem ao ser elogiado, ao mesmo tempo que fico ofendido quando não me dão o valor que julgo merecer.

Digo-me humilde porque sei que tenho uma imagem a zelar, mas no fundo penso que a humildade é ruim, pois se eu for humilde, como os outros vão saber o que sei, tenho e faço de bom?

Finjo importar-me com meus semelhantes, quando na realidade estou indiferente com os seus problemas.

Quero e adoro expor minhas opiniões, mas não tenho paciência para ouvir aqueles que me contradizem, dentre outros detalhes.

Mas posso explicar meu jeito egocêntrico de ser, pois se eu não defender os meus interesses, se eu não fizer o que eu quero e gosto, se eu não me valorizar e mostrar quão bom eu sou em qualquer aspecto, acho que ninguém irá reconhecer e fazer algo por mim sem algum interesse.

Pastores da terra

Reforma agrária… É algo necessário. Existem vários grupos que lutam constantemente para que esta aconteça. O principal destes grupos, o MST “Movimento Sem-Terra” prega e vive de uma teoria ideológica muito bonita, a de dividir as terras férteis que não são aproveitadas para dar a aqueles que nada têm. Mas infelizmente na prática é muito diferente. Na maioria dos casos os lideres destes grupos são oportunistas que pegam as terras não para trabalharem, usam desta penúria para fazer pressões políticas. Normalmente aqueles que participam deste grupo, provável que por pura ignorância, nem percebem qual o real interesse de seus lideres.

Integrantes de três movimentos sem terra protestando em brasilia

Integrantes de três movimentos sem terra protestando em Brasília (acima)

Um exemplo clássico de como o que este texto descreve é real, foi o que aconteceu em 2006 no mês de março, onde membros do MST invadiram e destruíram um laboratório de pesquisas no rio grande do sul. Pesquisas essas que eram estudadas há anos. Pesquisas que elevariam consideravelmente nosso país na área de espécies botânicas.

“O laboratório que desenvolve novas espécies teve prejuízo de 400 mil dólares. Durante a ação, foram usadas armas artesanais com uma faca amarrada na ponta. Os sem-terra danificaram 16 mil metros de estufas e segundo a empresa oito milhões de pés de eucaliptos foram perdidos” – Globo.com – Quarta-feira, 08 de Março de 2006

A real necessidade de fazer uma reforma agrária justa praticamente não se discute. Infelizmente vivemos em um país onde os espertos prevalecem. E neste caso não é diferente. Usam e abusam dos desfavorecidos financeiramente e intelectualmente, os deixando pensar que estão lutando por algo justo, quando na realidade tornam-se baderneiros que nem sabem o que fazem.

Introdução do Hino Nacional Brasileiro

Espera o Brasil
Que todos cumprais
Com o vosso dever.
Eia avante, brasileiros,
Sempre avante!
Gravai com buril
Nos pátrios anais
Do vosso poder.
Eia avante, brasileiros,
Sempre avante!

Servi o Brasil

Sem esmorecer,
Com ânimo audaz
Cumpri o dever,
Na guerra e na paz,
À sombra da lei,
À brisa gentil
O lábaro erguei
Do belo Brasil.
Eia sus, oh sus!

Bandeira =)

Bandeira =)

Sai deste corpo espírito intolerante

Desde o início das eras, o homem encontrou a necessidade de crer em algo maior. Também desde aquele tempo, povos diferentes tinham necessidades diferentes, crenças diferentes. E por terem diferenças e não conseguirem compreendê-las ou aceitá-las, surge o maior tema de discussão, lutas e revoltas da história da humanidade, o fanatismo religioso.

Ignorando a lógica de que não existe nenhum fato consumado em alguma religião que a torne mais ou menos correta e verídica que as demais, todos os dias muitos indivíduos discutem fervorosamente defendendo seus “deuses”. Não conseguem considerar e respeitar a ideologia do próximo, chegando ao ponto de encontrar dificuldades para conviver ou tolerar a crença alheia.

Quem mais sofre nas mãos destes fanáticos bitolados são os cientistas, materialistas, humanos racionais, que na maioria dos casos são mais tolerantes que os religiosos. Os devotos até conseguem controlar-se quando outro beato manifesta-se expondo e explicando sobre sua crença, porém alguns são absurdamente violentos com aqueles que não crêem em algo divino.

Todos os anos muitas pessoas são mortas por causa desta disputa sem fundamentos.

A maior dificuldade é conseguir compreender a racionalidade de tudo isso, pois, em grande parte das igrejas, templos, terreiros, etc. ensina-se a boa conduta e o amor, mas não se consegue evitar a hipocrisia de lutar entre si como inimigos numa rixa irracional.

“Deus, se você existe, por favor, salve-nos dos seus seguidores!”